O avanço da tecnologia mudou a nossa rotina. Hoje em dia passamos várias horas na frente de uma tela de computador durante o trabalho. E, nas horas de folga, passamos outras tantas horas manuseando um smartphone ou tablet.
traço-para-destaque-1

Com tantas mudanças, algumas pessoas passaram a acreditar que o papel, uma invenção chinesa feita por volta do ano 110 a.C., logo se tornaria coisa do passado.

Mas quem é capaz, por exemplo, de abrir mão da leitura no papel? Talvez deitado no sofá ou na cama? As telas dos dispositivos eletrônicos, por emitirem luz em direção a nossos olhos, cansam a vista e tornam a imersão em textos mais longos cansativa e desgastante. Além disso, estudos apontam que a leitura nessas telas, pelo desconforto, é feita apressadamente, de modo superficial, sem muita concentração e assimilação do conteúdo.

Aliás, hoje em dia, o material impresso, ao contrário do que alguns apregoaram, continua insubstituível. Para se ter uma ideia da força que o papel ainda possui em nossa sociedade, o segundo negócio online de maior sucesso, depois do Google, é a Amazon, que vende livros (fonte: revista Superinteressante). Além disso, basta uma volta rápida pelo supermercado para vermos a quantidade de embalagens de produtos, cada vez mais sofisticadas pelos avanços tecnológicos também na impressão gráfica. No mercado também vemos os avisos promocionais, a sinalização de setores, recebemos folhetos com ofertas. Quando paramos num restaurante ou mesmo num fastfood, é um cardápio que recebemos para escolher nosso pedido. Afinal, nós gostamos de tocar, de manusear os objetos do mundo, e nada como um material impresso para nos satisfazer.

E todo esse material impresso que temos à disposição, que nos comunicam coisas importantes, que nos atraem para um determinado produto ao invés de outro, que nos mostram as notícias do dia a dia, são produzidos incessantemente nas gráficas. Hoje em dia temos dois modos principais de impressão:

Offset: ideal para médias e grandes tiragens. Geralmente é feita em máquinas de grande porte (impressoras rotativas e planas), por meio de cilindros intermediários que transferem a tinta para o suporte, por isso recebe o nome de offset, “fora do lugar”, já que é feita de forma indireta. A impressão offset costuma oferecer menor custo por unidade.

Digital: tecnicamente, impressão digital pode ser definida como a “arte ou técnica de imprimir que utiliza recursos de informática aplicados à reprodução de textos e imagens em qualquer suporte, utilizando como matriz um arquivo digital e sem intermediação”. Ou seja, na impressão digital a matriz é virtual (uma arquivo de computador), não material. As impressoras digitais, a partir da leitura do arquivo, fazem a impressão diretamente no suporte por meio de vários recursos, como o laser e a tinta. A impressão digital tem a vantagem de permitir tiragens menores.

De modo simplificado, o mercado gráfico pode ser dividido basicamente em três áreas:

Editorial: são os livros, as revistas, jornais e os informativos de todos os tipos (empresariais, de classe, religiosos etc.).

Embalagens: todo produto que compramos vêm necessariamente numa embalagem, que serve tanto para atrair o consumidor como para trazer informações legais e técnicas. No caso de alimentos, por exemplo, é necessário que existam informações nutricionais e de validade.

Promocional/comercial: são todos os materiais impressos que têm o objetivo de comunicar uma mensagem empresarial ou de vendas.

Portanto, se prestarmos atenção, vamos notar como a gráfica é uma parte importante de nosso dia a dia. Talvez não paremos para nos dar conta disso, já que estamos tão acostumados com nosso mundo moderno.